Quarta-feira, 2 de Abril de 2008

Desafio nº14 – Hoje vamos falar de Amor

 
A suprema felicidade da vida
E a convicção de ser amado
Por aquilo que somos,
Ou, para ser mais preciso,
De ser amado
Apesar do que somos”
Victor Hugo
 
Encontrei este texto e pensei para mim mesma, que em poucas palavras Victor Hugo disse tudo.
Porque a felicidade é aquilo que todos nós procuramos ao longo da vida, aquilo que muitas vezes o dinheiro, o poder, a fama, enfim, a panóplia completa dos grandes sucessos da vida não nos consegue trazer.
Talvez seja, afinal estupidamente simples, e por isso mesmo, estupidamente complicado.
Ser amado “apesar do que somos” é o grande sonho de todos nós, e especialmente de todas as mulheres.
E contudo, as relações estão em crise, a solidão é cada vez maior, a morte do amor é cada vez mais uma certeza, como se naquilo que deveria ser uma viagem a dois, soubéssemos de antemão que pelo menos um vai saltar já na próxima estação, e o outro ficará só.
Porque esta infelicidade, ou se preferirem esta procura constante da felicidade, não conhece idades.
Já não são os casamentos/uniões com muitos anos que acabam, são também os mais recentes. Segundo os últimos números, em cada três casamentos em Portugal, dois acabam em divórcio ao fim de dois anos.
Dois anos? Mas é ainda o início da caminhada! É como se desistíssemos mesmo antes de fazer um esforço para apreender quem é o outro.
Depois, saltasse de relação em relação e o padrão repete-se.
Mas, caras amigas, para alguém nos amar “apesar do que somos” é preciso tempo, é necessário ter partilhado os bons e os maus momentos, e só assim podemos dizer em verdade que sabemos quem o outro é.
Estaremos perante um mal da sociedade? O resultado do apelo constante ao prazer que nos chega de todas as formas? O elogio ao sexo fácil e sempre super fantástico?
Não sei. Mas se olharem à vossa volta vão seguramente encontrar mulheres cada vez mais jovens, sozinhas.
E homens cada vez mais jovens com crises de identidade.
Pois o meu desafio por hoje, caras amigas, é colocar-vos esta questão, e perguntar o que pensam sobre o amor e o compromisso na nossa sociedade.
Espero aqui por todas vós.
Com um abraço
 
publicado por Luísa Castel-Branco às 11:37
link do post | comentar | favorito
12 comentários:
De Anónimo a 2 de Abril de 2008 às 14:21
luísa,

tocou num tema q me tem dado q pensar ultimamente....
cheguei à conclusão, ao fim de uma união de 15 anos, q o amor verdadeiro é o maternal, o paternal e o fraternal.....o amor entre homem/ mulher pura e simples não existe!
há casos sim, de rara excepção, em q 2 almas gêmeas se cruzam e se tocam e se juntam nesta vida efémera q nem chegamos bem a saber p q serve!..
tirando esses p fazer juz à excepção, não estou a ver, mt sinceramente, o verdadeiro e puro amor entre casais, sejam hetero/homo ou outra qquer entidade q p aí ande e eu desconheça...
hoje posso afirmar q amo o meu filho, seguido dos meus pais, irmãos e amigos (estes últimos, do rol dos leais e verdadeiros), tenho a cereteza, q por mt q procurasse, não ia conseguir quem me amasse cm sou, e a quem amar conforme é!...

um beijo grande,

c.a.


De Luísa Castel-Branco a 7 de Abril de 2008 às 23:44
Subscrevo a sua opinião sobre o amor verdadeiro e total, o amor que não necessita da contabilidade do dar e receber. Realmente, apenas o amor pelos filhos e aqui não consegui colocar no mesmo plano os pais, irmãos e amigos.
Ser mãe é a plenitude da vida, é o sentimento mais forte que alguma vez conseguimos viver.
Quanto a ser pai, não sei mas acredito que para alguns seja também algo de maravilhoso .

Mas voltemos ao seu segundo comentário, e à necessidade de manter a esperança.
É, se não for assim, não vale a pena.
E depois, com a idade tornamo-nos diferentes e começamos a olhar a vida de outra forma e a pedir da vida um amor diferente.
E isso é algo também que aprendemos, que o amor tem inúmeras formas e vai mudando ao longo dos anos.
Contudo, essa tal esperança é o que nos mantêm vivos e na expectativa de um dia encontrar alguém que nos ame pelo que somos.
Mas, o melhor é nunca esquecer que mais vale só que mal acompanha dada /o.
Volte sempre.


De Anónimo a 4 de Abril de 2008 às 15:08
sou eu outra vez Luísa !
(adoro escrever aqui, lol )

quero acrescentar ao meu testemunho q , mesmo pensando da forma q penso, mantenho sp a esperança de um dia alcançar o tal amor....afinal, temos q ser positivas pq a esperança é q nos move, ou não?
costumo pensar q há males q vêm p bem, q "nada se perde, td se transforma", q amanhã o sol nasce outra vez, q a água não passa 2x debaixo da ponte e tal e etc...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

sou eu outra vez Luísa ! <BR>(adoro escrever aqui, lol ) <BR><BR>quero acrescentar ao meu testemunho q , mesmo pensando da forma q penso, mantenho sp a esperança de um dia alcançar o tal amor....afinal, temos q ser positivas pq a esperança é q nos move, ou não? <BR>costumo pensar q há males q vêm p bem, q "nada se perde, td se transforma", q amanhã o sol nasce outra vez, q a água não passa 2x debaixo da ponte e tal e etc... <BR class=incorrect name="incorrect" <a>let´s</A> hope for the best ! <BR><BR>bom fim de semana pra todos! <BR>pensamentos positivos!! <BR>fiquem bem! <BR><BR class=incorrect name="incorrect" <a>c.a</A> .


De Ana Costa Pinto a 7 de Abril de 2008 às 03:08
O Amor...!! A questão de tantas mulheres e tantos homens (sim, eles também sofrem por amor...muitas vezes em silêncio...por vergonha de o assumirem perante uma sociedade machista e mesquinha)...a verdadeira questão é ser feliz ao lado de quem realmente amamos...e ponto final!! A carreira de sucesso não preenche o espaço vazio ao entrar em casa ao final do dia e não ter ninguém para partilhar suas angustias...vitórias...!! As relações descartáveis são fáceis...mas desgastantes...não são suportáveis...causam silêncios internos profundos que jamais nos libertam para a energia que realmente procuramos!! O que falta?! Coragem para enfrentar cada desafio de cada novo dia...ninguém nos ensina a ser a melhor namorada/o do mundo...como nos ensinam na escola e faculdade a ser os profissionais que escolhemos...pois esse é o desafio de lutar...aprender a procurar em cada detalhe...a felicidade que nos faz falta...e ser melhores pessoas!! Comunicar e respeitar a diferença não é fácil...é mais simples bater com a porta e depois chorar...dizer "não aguento mais"...fugir constantemente do que caminhar por entre um caminho incerto...! A minha questão é...é preciso caminhar nessa estrada...e ser feliz dia após dia (mesmo nos momentos menos bons) para que jamais encontremos lacunas emocionais quando olhamos para nós mesmos!!


De Luísa Castel-Branco a 7 de Abril de 2008 às 23:54
Ana,
Tem razão os homens também sofrem por amor, e muitos por vergonha numa solidão enorme.
Todos procuramos a felicidade, mas muitos de nós não temos capacidade de ver correctamente o tal caminho de que fala e que temos que percorrer. Não é fácil, não é para quem quer viver a paixão unicamente, não é seguramente para quem não quer aceitar que há dias bons e dias maus, momentos para recordar e outros que devemos esquecer.
Nada substitui o ombro amigo, o outro que lê nos nossos olhos sem necessitar de palavras e que nos ama, quando acordamos de manhã, e quando muitas manhas passaram e o nosso corpo perdeu o vigor.
Mas querer acabar a vida junto de alguém, saber que essa pessoa torna a vida digna de ser vivida não é substituível por nada, nem fama, nem dinheiro nem tudo o resto que nos venha ao pensamento.
Um abraço


De a 7 de Abril de 2008 às 14:34
Hoje em dia, é grande o apelo ao prazer fácil, ás relações descartáveis, uma e outra e outra...
Talvez para muitos/as isto seja viver, mas no fim fica apenas o vazio...será realmente viver?

"A felicidade vem do compromisso. Alguns pensam que não, que uma pessoa mais solta, sem ligações nem obrigações, é mais feliz! Será? Ela faz o que lhe apetece e não o que quer. Fica escrava das ondas, das emoções, vai para onde puxa o que 'está a dar' e não para onde quer e deve. Estar solto não é o mesmo que ser livre. "

(Padre) Vasco Pinto de Magalhães, in 'Não Há Soluções, Há Caminhos'


De Luísa Castel-Branco a 7 de Abril de 2008 às 23:58
Pois Fá, a noite da cidade é bem o exemplo dessa felicidade!
As festas, as fotos, as noticias, as muitas pessoas que conhecemos e as que não conhecemos mas sabemos a vida.
Encontros e desencontros que se tornaram a normalidade.
Sabe, tenho especialmente pena dos mais jovens.
Porque a minha geração sonhou. Muitas vezes erramos, outras não.
Mas houve um momento mágico em que acreditávamos que era para sempre.
Hoje, começa-se a vida a pensar que se der dá se não der paciência!
É triste e explica muito do que por ai vai.


De vera-almada-27 anos a 12 de Abril de 2008 às 18:53
OLÁ,Luisa,
aí está um tema que muito se debate, eu própria c os meus amigos,temos sessões de um espécie de "guerra dos sexos" ou "braço de ferro" e o que é certo é que pobres dos homens da actualidade(digo em tom de brincadeira),cada vez mais a mulher anseia pla sua afirmação na sociedade.no trabalho,na família e na RELAÇÃO,tudo isto sabemos nós pk é o síndrome de "vingar"as gerações passadas...E aí entra a realidade dos ACTUAIS RELACCIONAMENTOS.

Acho muito bem que qualquer ser humano procure a felicidade,ou até que apenas fuja da infelicidade,porque VIDA só temos uma,como costumo dizer e atenção que não gosto de SOLIDÃO mas...se nasci sozinha, antes de mais devo
PROCURAR A FELICIDADE sozinha,dentro de mim,por mim mesma e encarar isso como um dever meu e só meu.
O problema é que muitas vezes as pessoas depositam no parceiro,esse dever ou obrigação.é certo também que por esse motivo(busca desenfriada de felicidade/bem estar/satisfação), as relações duram menos mas tenho a certeza de que são concerteza muito mais GENUÍNAS e VERDADEIRAS! hoje em dia que maior prova de amor existe do que duas pessoas estarem juntas???se estão é porque se sentem preenchidas e felizes,acabou a HIPÓCRISIA de fingir o que já não se sente,a hipócrisia de permanecer até ao fim dos nossos dias com um ser que não merece,que nos maltrata,que não nos valoriza e não nos faz sentir mulheres!
Coitados dos homens que ainda pensem como antes...em tudo o que escrevi coloquei apenas o equilibrio necessário,não estava nunca a referir me aos extremos do que se via antes e do que se vê hoje...
eu própria vivi mais do que uma mão cheia de anos,uma relação que não me deixava crescer,respirar e durantes esses demais anos,vivia á luz da pessoa que amava e do que ele queria,do que ele era e do que gostava e aos 23 anos coloquei um ponto final.nessa altura pela primeira vez comecei a viver,não renasci,NASCI!
tudo por opção e estes ultimos 4 anos têm sido os anos mais lindos da minha vida c ganhos e perdas,com sorrisos e lágrimas mas sem dúvida sendo eu própria , já sei RESPIRAR por mim mesma.
A todas as MULHERES (divas) que leiam este comentário eu n peço mas EXIGO sejam felizes,não deixem que homem algum destrua a vossa CAPACIDADE DE SONHAR E DE VOAR e que jamais alguem tenha a ousadia sequer de tentar apagar o brilho maravilhoso que temos dentro de nós e agora para terminar sem querer parecer feminista para os HOMENS fica a mesma exigência mas agora no papel inverso,sejam felizes e façam felizes vossas namoradas e esposas caso contrário elas mais cedo ou mais tarde baterão asas e voarão para muito longe...e ás que não vos merecem então, mostrem que há mais quem queira SER FELIZ!!!
O passar do tempo é que faz com que ressalte a essência das coisas e hoje cada vez mais uma RELAÇÃO é mesmo relação dure muito ou pouco enquanto existir consegue sê-lo na íntegra!
E OS HOMENS estão de parabens porque têm melhoram bastante e cada vez têm a mente mais aberta e abrangente,eles já não são homens são uns SENHORES,uns condes como diz uma amigo meu.
chega de escrever porque o meu CONDE também já chegou e lá por ser uma mulher moderna não o vou fazer esperar.e você já encontrou o seu CONDE?



De Maria de Lourdes a 13 de Abril de 2008 às 22:58
Amor;primeiro uma palavra que devia ser decrita como algo que fizesse mover o mundo,mas infelizmente é uma palavra com o sentido oposto:ódio aí começa a arrasar tudo por onde passa.
O Amor aos 10anos é lindo é doce
é Inocente,aos 14 faz corar,aos 16 '' aiiii treme-se aperta o estõmago,oprimeiro sermão do papá, as primeiras espreitadelas da mamã e vivia-se na lua,como isto era há 40 anos atraz defenir o amor hoje é complicado pelo menos para mim. os homens são muito machos se forem livres as mulheres o mesmo.
mas nem todospensam da mesma maneira por um lado há homens que teem ocuidado de entender as
mulheres e se elas trabalham não se sentem menos
homens por dividirem tarefas:no meu caso é assim o meu marido e os meus três filhos o que me dá muito
prazer e por minha parte muito geito.
Em Setembro de 2005 foi-me detectado cancro na mama.o meu marido estava na pré reforma havia 8 meses,foi ele o meu porto de abrigo,hoje a doença está controlada, mas a ajuda continua.
tivemos altos ebaixos como todos os casais,algumas
arranjadas por pessoas que não suportavam o nosso bem estar,mas sempre pensei que reria eu que havia de venser mas claro ás vezes o preço é muito alto.
Maria de Lourdes



De Adoa a 26 de Junho de 2008 às 16:46
Gosto muito dos jogos de computador e de cinema...
[Error: Irreparable invalid markup ('<br [...] <a>') in entry. Owner must fix manually. Raw contents below.]

Gosto muito dos jogos de computador e de cinema... <BR class=incorrect <a name="incorrect">Exstem</A> </A>agora muitos jogos em que se simula a vida real. Não, não é real... Porque na vida que temos, também existem os momentos mortos... existem as idas de casa ao trabalho... do trabalho a casa... momentos em que temos de arrumar a casa, fazer a comida, lavar a loiça, ir à casa de banho... <BR><BR>Isto não aparece nos filmes nem nos jogos! <BR><BR>Quando estamos numa relação pensamos que ao dar o primeiro beijo vai soar música como fundo, ou que subitamente vão aparecer foguetes dando algum sinal de que a felicidade chegou e "agora é que é!" <BR><BR>Estes momentos "parados" são sempre muito verdadeiros na nossa vida e podemos andar sempre às voltas com o telemóvel que eles sempre estarão lá. <BR><BR>A vida é bem melhor que um filme! Podemos nesses momentos sonhar com o que virá, com uma surpresa a fazer ao nosso Amor, ou então pensar em alguma solução para um problema em conjunto. Mais do que isso, a nossa vida É A NOSSA VIDA! <BR><BR>Ao ver um filme estou a viver a vida de outrem, para quê? <BR>O melhor do Amor é VIVÊ-LO! Por isso não tenho muita paciência para esses filmes românticos... Ainda por cima vivemos todas essas emoções que depois nos podem deixar com perspectivas acima do que temos. Em vez disso prefiro fazer eu o Meu filme de Amor! <BR><BR>Fazer da minha vida um romance! Vivê-la com paixão! <BR><BR class=incorrect <a name="incorrect">Aprovitar</A> </A>todos os momentos para dizer: Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te!Amo-te! <BR><BR>E nunca cansar-me de dizê-lo! <BR><BR>É tão bom chegar ao fim do dia e ter aquela pessoa ao nosso lado... falar dos problemas, beijar-nos, fazer Amor. <BR><BR>Mas se não fizermos Amor também não há problema! Imperativo é beijar... Sim, não pode haver um dia sem o beijo... não porque depois pode vir o dia sem o carinho... sem a palavra... sem nada... <BR><BR>As pessoas estão cansadas de tentar levar a bom termo as suas relações porque fazem como nos electrodomésticos... é mais "barato"/ fácil começar tudo de novo! <BR><BR>É quase como mudar de camisola. As pessoas não querem tentar muitas vezes porque... porque não acreditam nelas próprias nem no Amor. Porque deixaram algo para trás e que agora se esqueceram... é como a infância. As pessoas também se esqueceram de rir, de saborear a vida, um bom chocolate... cresceram... <BR><BR>A morte da alma precede a morte da vida... <BR><BR>Carpe Diem ! <BR><BR>(Luísa desculpe-me... estou a gostar tanto de comentar aqui que vou mesmo embalada! :) Vou descansar um pouco os braços! lololol )


De Anónimo a 27 de Junho de 2008 às 09:54
é um facto...
hj em dia as pessoas ja n se amam para sempre...
é um para sempre pela metade...
Eu propria há 5 anos atras apaixonei.me e achei que era p sempre, mas dps de uma relaçao de 4 anos simplesmente deixei de gostar dele quase como se fosse do dia para a noite, sem razão aparente!
A partir dai nc mais fui tao feliz com fui c essa pessoa, mas a verdade é que nc mais me apaixonei de verdade, da maneira que me apaixonei por esse tal rapaz há 5 anos atras!
hoje tou com uma pessoa, mas n me vejo num futuro com ele... pk n sou capaz de o amar... com tudo isto acho que deixei de acreditar no amor e em todos os valores que com ele estavam relacionados. eu nao keria ter deixado de gostar daquela pessoa e até hj sonho com o dia em que me vou apaixonar por ele outra vez! se tinha a pessoa ideal cmg, deixei e a amar e terminei tudo, mm sentido que era com akela pessoa que devia ficar, cm vou agora gostar de outra pessoa?
o amor já não existe....


De Patrícia a 14 de Setembro de 2008 às 11:41
Cara Luísa,
a verdade é que estamos na era do "fastfood". Infelizmente! O ritmo da vida actual a isso obriga.
Isto aplica-se a tudo...queremos tudo, queremos para ontem.
Infelizmente nas relações tb é isso que se vê.
Mas algumas de nós, as "antiquadas", não queremos.
Sabemos que isso não é compatível com qualidade.
Como sonhadoras que somos, sonhamos com um companheiro que queira partilhar os bons e os maus momentos, que como disse Victor Hugo, á tantos anos atrás, que nos ame apesar do que somos.
Mas Luísa, isso existe?
Ou será que esta é a procura do santo Graal das mulheres?
Os homens são eternas crianças, com um desejo infindável de serem desafiados.
"Quando já conhecem o jogo, e já passaram todos os níveis, querem um novo jogo!"
Isso aplica-se ás relações, pode demorar 1 ano, 7 anos ou uma vida.
Porque alguns "não deitam fora o velho jogo, mantém os dois!"
Será que é o preço que pagamos pela emancipação das mulheres?
Ou será que o problema é que os homens não amam?
E nos procuramos algo que não existe.
Eu tb, como a grande maioria, espero um dia poder dizer, que afinal, o amor existe!
Patrícia


Comentar post


Vox pop - E viva Campo de Ourique e as histórias felizes!

Fui lá armada em esperta. A intenção era saberm se aquelas mulheres que ali trabalhavam no Mercado de Campo de Ourique tinham sequer sabido da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

E não é que todas, apenas uma excepção, tinham recebido presentes, eram casadas há mais anos do que imaginamos que ainda existam casamentos em Lisboa ?!

Toma lá Luísa para aprenderes!

posts recentes

Pois é, vem ai o Natal!

raquel disse sobre A dor ...

Ana Paula disse sobre Des...

Importa-se de repetir????...

Paula disse sobre Virgem ...

Sara disse sobre Virgem a...

Maria disse sobre Diário ...

Alexandra disse sobre DES...

sara disse sobre Negas a...

? disse sobre Diário de u...

Obrigada Maria

Negas ao sexo? Cuidado av...

Sobreviver a 2009

coisas q eu quero mudar e...

Sofia Diniz disse sobre A...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds