Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

A experiência que só a vida nos dá

jose mendonça disse sobre Estamos aqui para a ajudar! na Segunda-feira, 30 de Junho de 2008 às 06:09:

     

 

Caro José,

Não sei a sua idade, mas encontrei nas suas palavras as marcas que a vida nos deixa.

Eu ia a acrescentar que era essa a razão pela qual as suas palavras são tão sábias quando me veio à cabeça que infelizmente, vivemos numa época em que a idade não é bem vista, nem bem aceite.

Geralmente, as pessoas, homens e mulheres, em vez de aceitarem as consequências fisicas que advêm dos anos, pelo contrário vivem em busca da eterna juventude.

O numero crescente de homens, no seguimento do que já acontecia com as mulheres e continua a acontecer, que se submetem a operações plásticas para enganar a idade, entristece-me.

Porque encontro no seu comentário aquela sabedoria que a idade nos dá, fruto de muitas lagrimas, alguns risos mas sempre de uma vida verdadeira.

Fico muito feliz pela sua ajuda em relação à Ana.

Porque embora concordemos os dois em absoluto, você é homem e faz-lhe bem a ela ouvir  que também podemos encontrar no nosso parceiro, alguém que sonha e luta pelos mesmos objectivos.

A vida não é fácil, ou melhor, cada dia é mais dificil, na minha opinião, ser feliz.

Porque está tudo demasiadamente acessivel, demasiadamente descartavel e esse empenho a longo prazo parece ter desaparecido do vocabulario e atitude que hoje rege as relações.

Mas vale e valerá sempre a pena lutar.

Um grande abraço e volte sempre.

publicado por Luísa Castel-Branco às 12:52
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Domingo, 29 de Junho de 2008

Estamos aqui para a ajudar!

Ana disse sobre Será que una boa relação sexual vale tudo? no Sábado, 28 de Junho de 2008 às 00:22:


 

     

 

Boa noite Dª Luisa
Após não ter vindo aqui durante uns dois dias, fiquei bastante sensibilizada com o seu comentário, assim como com os outros que foram deixados e que li com muita atenção e agradeço também desde já.
Tudo o que li é tudo aquilo que eu penso, mas que faltava a coragem para fazer, digo faltava porque penso que hoje tive o ultimo "combate".
Faltava o Vosso empurrão, estou aqui a chorar baba e ranho e espero que consiga, que tenha forças para que tenha sido mesmo o ultimo.
Tenho vivido estes últimos tempos a tomar o que chamo comprimidos de paciência assim que pressinto que vamos discutir e cada vez mais sinto que me falta a memoria presente, estou com saudades dele e ainda não passou nem uma hora :(
Vou.me deitar obrigada e desculpe
Ana

 

Querida Ana,

Se todos nós, aqui neste cantinho fomos de alguma forma úteis para si, então bem haja a Net, os Blogs e a comunidade virtual!

É normal que esteja a chorar, que sinta um buraco no estômago e que tenha dormido mesmo muito mal.

É natural que estenda o braço e espere encontrar o corpo dele, o cheiro dele e de repente abra os olhos e se depare com a realidade.

Mas minha querida, se quiser ser verdadeira consigo mesma, só tem que se recordar dos muitos momentos em que esse homem a deitou a baixo, lhe retirou algo em vez de lhe dar.

Isso não é amor e a Ana merece mais, muito mais!

Depois, chorar faz bem. Limpa-nos a alma e não há razão para ter vergonha.

Como também não deve ter vergonha de se sentir completamente infeliz e perdida nos próximos tempos.

Mas, olhe para si ao espelho e veja quem é. Veja as marcas que ele lhe deixou porque quando nos magoam fica-nos registado no rosto e no coração.

Não desista e não se contente com pouco.

Venha a este cantinho que todos nós esperamos por si.

Um grande abraço,

 

Luísa

tags: , , ,
publicado por Luísa Castel-Branco às 10:02
link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Segunda-feira, 23 de Junho de 2008

Será que una boa relação sexual vale tudo?

Dª Luisa

 

_____________________________________________________________________________

 Andava por aqui a vaguear e dei com o seu blog e como "especialista em coisa nenhuma" gostaria de desabafar um pouco com alguém já que não tenho ninguém que tenha um ombro disponível neste momento.

Comecei a "andar" como se diz agora com uma pessoa mais nova que eu uns oito anos, eu tenho 44, pouco o conheci-a e sei que foi tudo demasiado rápido. Hoje vejo que foi mais uma cabeçada que dei e vou dar todos os dias até que me consiga acabar com tudo.

Estou com a minha auto estima completamente em baixo, tem dias que olho para mim e pergunto o que anda ele a fazer comigo, talvez para compreender melhor de inicio ouvi coisas como: "Ai ficas melhor de calças do que de saias! (eu uso mini saia que até acho que me ficam bem), chegou a dizer-me que o meu cabelo molhado ( que eu não seco o cabelo ) parecia um rato, repara em tudo pela negativa (cabelos brancos....mas quando os pinto, só lhe ocorre dizer: pintaste o cabelo?).

Nomes "fofos" como gordinha (simmmm eu sei que tenho pneu e barriga! ) e lontra, para ele são adjectivos que eu tenho que compreender que são maneiras carinhosas de tratar a pessoa de quem se gosta.

Não me considero uma pessoa assim tão gordinha, tenho 1,70 e 65 kg.

Cada dia que passa mais zangas temos, aliás não passamos um dia sem as ter, eu sei que lhe dou cabo do juízo mas ele está comigo e olha para tudo que mexe, repara em tudo parece uma criança na fase da curiosidade e escusado será dizer que quando o apanho a olhar e é para uma mulher vai de sair o meu mau feitio!!!!

porque eu sei que ele está a apreciar já que passa a vida a olhar para tudo.

Estou farta!!!!! cansada, tem alturas que olho para ele e penso: mas quem é este gajo para dizer mal de mim quando ele nem fisicamente não vai longe, tem barriga!!! pneu!!! e uma coisa torta que não vou dizer o nome!!!.?

Gostava de ter um homem ao meu lado com quem pudesse conversar, não só para ter sexo, nisso entendemos-nos muito bem mas não me chega! Quero FALAR, DESABAFAR, ouvir..... ele brinca : ( faz gracinhas, fala comigo como se eu fosse o filho, tem dias que eu penso vou acabar com isto!

mas depois não tenho coragem porque gosto dele.

Faço o que com os meus ciumes? aiiiii que nervos.

E muitos mais tinha para contar mas não vou maçar mais.

Obrigada e beijo grande para si.

Ana

 

 

 

Ana,

Pode não acreditar mas invariavelmente, as mulheres infelizes, falo daquelas que podem sair de uma relação por vontade própria, têm geralmente um ponto em comum, dão-se sexualmente muito bem com os respectivos parceiros.

Sendo assim, a primeira pergunta a fazer é o que é mais importante para si, o número de orgasmos ou o seu respeito próprio?

Não entenda aqui uma observação negativa da minha parte. Já tenho idade suficiente para ter apreendido que existem mulheres que necessitam de sexo muito mais do que outras.

Por outro lado, lamento dizer-lhe que nenhum dos casos e são muitos que vi ao longo dos anos acabou bem.

Porque numa relação, o que temos que saber é se a outra pessoa nos faz bem, se  faz-nos sentir bem connoscos mesmas, se nos apoia nos nossos sonhos e nos ama mesmo conhecendo os nossos defeitos.

 

A todas estas perguntas, o seu texto leva-me a concluir que não, que essa pessoa não lhe traz felicidade.

Depois no que diz respeito aos ciúmes, eles existem dentro de todos nós, mas devem ser doseados.

Se você estiver constantemente a cobrar o que faz, para quem olha, a vida é um inferno.

Mas será que isso aconteceria se ele a estimasse em actos e palavras?

Sei o quanto é difícil estar só. Sei-o por experiência própria mas o ditado "mais vale só que mal acompanhada" continua a ser verdadeiro.

A Ana tem nas suas mãos a decisão do que vai ser a sua vida.

Se quer contentar-se com alguém como esse homem, então não se queixe porque é a sua opção, nada mais.

Tenha em mente uma frase publicitária de há anos atrás: Se eu não gostar de mim, quem gostará?

Ó nosso mal, querida Ana, de todas nós, é que nos contentamos com pouco com medo de enfrentar o desconhecido!

Volte sempre e até lá, tenha uma boa vida!

publicado por Luísa Castel-Branco às 10:42
link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito

Vox pop - E viva Campo de Ourique e as histórias felizes!

Fui lá armada em esperta. A intenção era saberm se aquelas mulheres que ali trabalhavam no Mercado de Campo de Ourique tinham sequer sabido da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

E não é que todas, apenas uma excepção, tinham recebido presentes, eram casadas há mais anos do que imaginamos que ainda existam casamentos em Lisboa ?!

Toma lá Luísa para aprenderes!

posts recentes

Pois é, vem ai o Natal!

raquel disse sobre A dor ...

Ana Paula disse sobre Des...

Importa-se de repetir????...

Paula disse sobre Virgem ...

Sara disse sobre Virgem a...

Maria disse sobre Diário ...

Alexandra disse sobre DES...

sara disse sobre Negas a...

? disse sobre Diário de u...

Obrigada Maria

Negas ao sexo? Cuidado av...

Sobreviver a 2009

coisas q eu quero mudar e...

Sofia Diniz disse sobre A...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds