Terça-feira, 8 de Abril de 2008

E chegou o momento de eu ter vontade de bater numa leitora!

Boa tarde

 

Estava a vaguear pela internet mais uma vez a procura de algo que não sei bem o que é, e encontrei este espaço e alguém que talvés possa dar-me alguma luz na minha vida.

 

Estou com uma depressão profunda há quase 1 ano, estou a fazer neste momento psicoterapia e acompanhamento psiquiatrico, mas ainda não encontro a luz ao fundo do tunel.

 

Namoro com um rapaz à 2 anos e pouco e à quase 1 que vivemos juntos. Nem um mês depois de estarmos a viver juntos, achei que andava estranho e a esconder qualquer coisa, até que resolvi segui-lo com a minha melhor amiga e de facto apanheio com outra rapariga, dentro do carro num lugar muito escuro:(  Estivemos para terminar tudo, ele não via outra alternativa, e eu não queria deitar tudo a perder quando sai de casa dos meus pais, fui eu que escolhi a casa, comprei os moveis e isso ia acabar por uma aventura. Por fim eu dei outra oportunidade, dei em louca, pois ele continuava a sair com ela, isto durou mais 3 meses. Até que eu passei-me e descobri tudo sobre ela, falei com o patrão, com os pais e fiz um escandalo onde ela trabalhava. eu estupidamente tenteva culpabilizar a rapariga por um erro que era mais do meu namorado do que dela.

 

Entretanto, eu vivo "isolada" pois ele não fala com a minha familia, pois eles viram todo o meu sofrimento, e não fala com essa tal minha amiga. Pois para ele a culpa de tudo isto foi de o ter seguido.

 

Agora, que pensava estar as coisas a acalmar, descobri que ele me engana de novo. Inventa horas extras no trabalho, chega a casa 4 ou 5 horas depois de sair do trabalho e dá sempre a desculpa esfarrapada de ter ido "dar uma volta". Eu já não aguento quero sair, arranjar a minha casa e dar-lhe com os pés! é o que ele merece. Todos me dizem para sair, mas não é assim tão facil fazer como dizer, sei  que tenho a minha vida pela frente, tenho 23 anos, mas vivo uma vida de uma mulher de 65. Tenho a minha auto-estima muito em baixo, engordei com este processo de depressão, e ainda por cima ele está sempre a fazer o favor de me lembrar disso.

 

Todos os dias peço a deus para me ajudar e dar forças, mas todos os dias só encontro é mais obstaculos....................................

 

um obrigado por poder partilhar este fardo cada vez mais pesado

 

Ana

 

 Ana,

Se você estivesse aqui a meu lado, juro que não me continha e dá-va-lhe um par de estalos!

Estou furiosa consigo! Estou furiosa porque nós mulheres somos burras, teimosas,masoquistas e acreditamos sempre que conseguimos mudar o idiota que está ao nosso lado!

Mas que história é essa de dormir nem que seja mais uma noite ao lado desse homem?

Claro que, desculpe a minha brutalidade, mas você neste momento não precisa de panos quentes, mas da verdade, claro que,como eu dizia, você portou-se como um idiota. A culpa é sempre deles, mesmo quando elas/nós queremos algo de um homem, que eu saiba não é possivel violá-lo, certo?

E vai você fazer figuras dessas? Acha que alguém merece que nos baixemos a esse nivel?

Não estou preocupada com  a outra, que se pode ser também mais uma das que acredita neles, mas em si, e naquilo que resultou desse ataque à pessoa errada.

O.K. Vou parar de lhe bater por um bocadinho para lhe dizer que você não é caso unico, nem por sombras, muitas das que nos estão agora a ler já passaram ou estão a passar por ai.

Mas, minha querida Ana, você tem 23 anos, irra!

Eu tenho 54, já lá vão os tempos em que era um mulher interessante, mas posso jurar-lhe mais depressa mandata a minha cara metade pela janela do que sujeitava a isso.

E sabe porque o posso dizer? Porque o demonstrei ao longo da vida!

Voltemos pois a si, e a todas as que sofrem por amor.

O amor, por definição, só o entendo como coisa boa, que nos faz feliz.

Porque quem nos faz mal, não é bom para nós.

E é certo que custa estar sózinha. É certo que vai ser dificil para si dar o braço a torcer e voltar para casa dos seus pais´.

Deixar aquilo que considerava o seu lar (presumo que quando diz que foi você que escolheu as coisas da casa, tenha sido ele a pagar, porque senão ainda é pior!).

Recebo cartas e emails de mulheres a contarem-me a sua vida. Mulheres com 40, 50, 60 anos. Sem ninguém que as apoie. Sem capacidade financeira para bater com a porta.

E a Ana, com 23 anos e uma familia que está a seu lado suporta isso porquê?

Por arrogância? Por incapacidade de aceitar que errou?

Mas vai acontecer muitas mais vezes ao longo da sua vida. E como disse Karl Marx "o que não nos mata torna-nos mais fortes".

Vamos por partes.

1. Financeiramente pode sustentar-se?

2.Se não pode os seus pais têm condições para a ajudar?

3.Quanto tempo precisa para fazer a mala, meter a roupa e sair pela porta fora?

4.Consulte imediatamente um advogado. Creio não estar enganada quando digo que para que uma união de facto tenha consequencias legais tem que existir há mais  de 2 anos , mas mais vale prevenir e vá saber o que pode esperar do rapaz

5.Muitos dos anti depressivos têm como consequência directa o ganhar peso. Fale com o seu médico e se necessário consulte uma nutricionista

6.Quando abrir a porta e sair, bloqueie no telemovel o acesso do numero dele ao seu telefone. Se não sabe como fazê-lo consulte a sua operadora movel

7.Se lhe for possivel desapareça por uns dias, enfie-se num sitio qualquer, se tiver uma amiga a seu lado,melhor, e dê a si mesma o direito de chorar e comer chocolates até não poder mais

8.Faça uma lista das coisas que NUNCA MAIS NA VIDA FARÁ!

9. Faça uma lista dos seus sonhos

10. Faça uma lista das coisas que gostaria de mudar em si e tente manter na sua cabeça que uma por mês irá conseguir os objectivos

11. Descubra um hobby. Não interessa qual. Compre uma das muitas revistas que existem sobre trabalhos manuais e artesanato (não imagina o que eu tenho poupado em psiquiatras!)

12.Não se deixe seduzir pela conversa do bandido nem por aquele sentimento que todas temos, tipo bombeiro da paz, da nossa obrigação em salvar um homem. Se ele precisar que vá ter com a Mãe ou que vá a uma casa de alterne!

Por esta altura já está zangada comigo.

Não me importo nada.

Mas vou pedir-lhe o favor de me voltar a escrever, Ana.

Eu não vou desistir de si. E quer me escreva ou não, vou passar a enviar-lhe mensagens só para a recordar que é capaz de fazer isto tudo.

Por favor, acate a opinião de alguém com idade para ser sua Mãe.

Ele não vai mudar. E se alguém tiver que o aturar, pobre da rapariga, ela que arranje alguem que lhe explique os factos da vida!

Um grande, grande beijo para si.

Luísa

 

publicado por Luísa Castel-Branco às 19:17
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito

Vox pop - E viva Campo de Ourique e as histórias felizes!

Fui lá armada em esperta. A intenção era saberm se aquelas mulheres que ali trabalhavam no Mercado de Campo de Ourique tinham sequer sabido da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

E não é que todas, apenas uma excepção, tinham recebido presentes, eram casadas há mais anos do que imaginamos que ainda existam casamentos em Lisboa ?!

Toma lá Luísa para aprenderes!

posts recentes

E chegou o momento de eu ...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds