Domingo, 27 de Abril de 2008

Desafio nº 16 -Quanto tempo deve durar uma”rapidinha”?

 
Convidaram-me para ir conversar sobre este tema num programa da TVI, mas infelizmente não me foi possível estar presente.
O tema baseava-se num estudo feito por uma universidade, confesso que já não me lembro de que nacionalidade, que basicamente se resumia em determinar qual o tempo ideal para uma relação sexual.
A resposta era, segundo o mesmo estudo, que os homens necessitavam de três a oito minutos e as mulheres mais de quinze.
Espero não estar enganada, mas a verdade é que gravei o programa e diverti-me tanto com a participação dos intervenientes que os minutos precisos não os recordo.
No estúdio da TVI estavam o Espadinha, uma mulher que não conheço e uma jovem actriz, para além de um sexólogo.
O pobre do homem bem tentou dar à conversa um tom sério e ao mesmo tempo explicar esta discrepância entre o tempo necessário para homens e mulheres atingirem o prazer.
Contudo, Vitor Espadinha dissertava sobre o seu grande conhecimento das mulheres e dizia repetidamente que nunca nenhuma tinha ficado insatisfeita, a dita senhora que eu nunca vi, afirmava de dois em dois minutos que fazia sexo todos os dias, a vida toda e que quem assim não actuava era doente, a coitada da jovem actriz enfiava-se pela cadeira abaixo e a apresentadora lá foi tentando o melhor que podia, dar sentido à conversa.
Foi então que entrou em linha José Cid.
E mal ele começou a falar, e a explicar que o prazer, e o tempo da mágica “rapidinha dependia de pessoa para pessoa, salta novamente a dita convidada em estúdio, a repetir que todas as pessoas deviam ter sexo todos os dias, que até evitava o cancro, e que o amor era outra coisa.
Zé Cid respondeu-lhe: “Olhe, comigo você não tinha de certeza”!
 
Relato-vos este momento televisivo apenas para colocar às minhas amigas a mesma questão: Quanto tempo deve ter uma rapidinha para ser boa?
 
Aguardo as vossas opiniões, e claro, homem é muito bem-vindo.
publicado por Luísa Castel-Branco às 13:21
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito

Vox pop - E viva Campo de Ourique e as histórias felizes!

Fui lá armada em esperta. A intenção era saberm se aquelas mulheres que ali trabalhavam no Mercado de Campo de Ourique tinham sequer sabido da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

E não é que todas, apenas uma excepção, tinham recebido presentes, eram casadas há mais anos do que imaginamos que ainda existam casamentos em Lisboa ?!

Toma lá Luísa para aprenderes!

posts recentes

Desafio nº 16 -Quanto tem...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds