Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Desafio nº3 - Aprender a gerir o tempo que nos falta

Ainda bem que vos dei um exemplo pessoal, um sonho que eu gostava de realizar, para agora, ao retornar ao tema, ser bem mais fácil explicar como podemos falhar os nossos objectivos.

Na verdade, pura e simplesmente não tive tempo sequer para fazer o primeiro gesto, para dar o primeiro passo.


E era simples: Fazer uma pesquisa e identificar os locais onde podia tirar o tal curso de fotografia, fazer o telefonema para saber condições, datas, enfim, coisa de nada se comparáramos com a concretização do dito sonho, essa sim bem mais demorada e exigente.


Mas esbarrei no tempo.
E aqui estou a dizer-vos: mea culpa!
Comecei mal e isto mesmo vai acontecer vezes sem conta.

São exactamente estes pequenos pormenores que dão cabo de nós, que nos encostam a um canto e nos aniquilam a vontade!

E afinal, o que teve de novo esta minha semana? Nada!


É a correria entre o trabalho, a casa, os nossos pais que necessitam de nós, os netos que precisam de nós, os filhos que nos pedem ajuda.
È olhar para o trabalho que temos em frente e senti-lo mais pesado a cada dia que passa, na proporção directa do nosso cansaço.

A juntar a isto tudo, existe ainda o lado pessoal da nossa vida, onde, seja qual for a idade que temos, os desafios também não são pequenos.

E como somos mulheres, e portanto gostamos de complicar as coisas (!) vivemos a questionar o que acontece, o que nos falta, o que poderíamos ter feito.

Mas se há algo que me fascina, é a capacidade que algumas pessoas têm de sabe gerir o tempo.


Porque é exactamente aí que a tudo se centra.
Começamos o dia a correr, continuamos num sprint desenfreado e quando chegamos a casa o cansaço vence-nos.

Ora a realidade, a rotina, são lugares secos e áridos, sem o oxigénio necessário para dar alento aos nossos sonhos.

Mas se a vida é o que é, se não podemos mudar o nosso dia-a-dia, como vamos conseguir alcançar seja o que for?


O meu desafio para esta semana, para mim e para vós, é concertarmo-nos com o tempo, unirmos forças ao relógio do Universo, em vez de nos perdermos nas 24 horas que dizem que os dias têm, mas que a nós nos parecem muito menos.

O que posso eu fazer para me organizar? Para ganhar algum espaço para mim mesma? Para dar direito a mim, enquanto ser humano, a poder sonhar, mesmo antes de dar qualquer passo para a frente, no alcance do tal sonho que tenho guardado e bem escondido dentro do meu coração?


Não tenho resposta.
Porque creio sinceramente que são pequeníssimos passos que nos podem levar a alcançar alguns minutos para nós.

Recebi da vossa parte uma amostra de vários sonhos.
E creio que este problema do tempo se aplica a todas nós.

Vamos ver como lhe damos a volta! Para a semana aqui estarei a contar-vos como me portei e claro aguardo as vossas notícias.


Um abraço,
Luísa

tags:
publicado por Luísa Castel-Branco às 11:17
link do post | comentar | favorito
3 comentários:
De li a 2 de Novembro de 2007 às 01:54
Eu realizei o meu sonho que era ser cabeleireira, agora que o sou e foram de três anos de tanto esforço para consegui o curso (já passaram entre tanto 5 anos) e parece que afinal esta carreira tão sonhada não me preenche agora na realidade não sei o que gostaria de fazer parece que está um vazio. Isto para dizer que nem sempre é motivo de arrependimento não realizarmos o sonho que tanto sonhamos um dia após ter tirado a carteira profissional de cabeleireira também não tive a sorte de encontrar uma entidade empregadora que me desse trabalho com tudo legal talvez por isso a desilusão o vazio, mas sonhar é sempre bom e é sempre estimulante para podermos avançar na vida e por isso o meu novo sonho para futuros horizontes é abrir uma loja e é por este caminho que espero que deus escreva como sempre o faz certo por linhas tortas. Por isso Luísa sonhar é sempre o começo de uma nova etapa obrigada pelo desafio


De Susana a 5 de Novembro de 2007 às 00:37
Gostaria de ter mais conhecimento, de saber coisas novas e emocionantes, gostaria até de ter um filho. Mas a trabalhar das 9h00 às 20h30 parece-me tudo demasiado cansativo. Trabalhar menos? Até gostava, mas nada se faz sozinho, e nada se aprende sem tempo.


De chamarrita a 5 de Novembro de 2007 às 01:16
Sinto o tempo a passar, correndo e quase não o consigo apanhar...
Em nome, da família, dos filhos e da profissão (que são os maiores sonhos que tenho) sinto que deixo para trás outros ... e que aqueles que me dizem respeito como ser humano vão sempre ficando para trás - o tempo não chega para tudo.
Tenho medo, apesar de ser uma adulta jovem, de me sentir velha demais para a minha idade.
Tenho pensado muito nos meus sonhos, aqueles que ficaram por realizar e outros que entretanto fui descobrindo e que gostaria de realizar.
Vamos lá arregaçar as mangas, descobrir a criança que ainda há em mim e mãos à obra!!!


Comentar post


Vox pop - E viva Campo de Ourique e as histórias felizes!

Fui lá armada em esperta. A intenção era saberm se aquelas mulheres que ali trabalhavam no Mercado de Campo de Ourique tinham sequer sabido da comemoração do Dia Internacional da Mulher.

E não é que todas, apenas uma excepção, tinham recebido presentes, eram casadas há mais anos do que imaginamos que ainda existam casamentos em Lisboa ?!

Toma lá Luísa para aprenderes!

posts recentes

Pois é, vem ai o Natal!

raquel disse sobre A dor ...

Ana Paula disse sobre Des...

Importa-se de repetir????...

Paula disse sobre Virgem ...

Sara disse sobre Virgem a...

Maria disse sobre Diário ...

Alexandra disse sobre DES...

sara disse sobre Negas a...

? disse sobre Diário de u...

Obrigada Maria

Negas ao sexo? Cuidado av...

Sobreviver a 2009

coisas q eu quero mudar e...

Sofia Diniz disse sobre A...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds