Quinta-feira, 8 de Novembro de 2007

Desafio nº 5 - Cair não é problema, o que interessa é como nos levantamos!

Ok. Já sei que se vão zangar comigo por causa deste desafio mas acreditem em mim quando digo que vale a pena, ainda que doa um bocadinho!
Ora bem, puxe pela memória e veja quantas vezes tem tido reveses na sua vida, pessoal, profissional, familiar.

Percebe o que eu quero dizer? Falo das contrariedades, daqueles muros no estômago que de vez em quando nos deixam ficar sem ar, e nos atiram ao chão. Daquelas situações em que sentimos que o mundo inteiro está contra nós, que tudo é uma injustiça e ainda por cima, aquilo que fizemos, pensamos ou não dissemos foi feito com a pureza do nosso coração!

Pois. Mas a vida depara-nos com obstáculos sem nos avisar antes, venham eles da forma que tiverem e nem sempre, aliás, poucas vezes a boa vontade e um coração puro nos pode salvar.

Depois desta introdução, aqui vai o desafio:
Pense um pouco sobre os contratempos que teve na sua vida, e depois faça uma lista (eu sei que tenho esta mania, mas resulta!), dividindo-os em pessoal e profissional.

De seguida, escreva em frente de cada um, as consequências que tiveram. Nem pense que cada vez que caiu com a cara no chão, foi uma experiência péssima para si e nada mais! Se pensar mais profundamente, vai verificar que o impacto de cada queda foi diferente do anterior e da seguinte.

Seja exigente consigo mesma.

Para variar eu dou-lhe um exemplo meu (um de muitos!):
Há muitos anos, tive a oportunidade de entrar numa Multinacional com um daqueles ordenados que fazem sonhar!
Mas eu sempre fui alérgica a grandes empresas, mania minha, mas sempre gostei de coisas mais intimistas e disse que não.
Em vez de ir para a tal grande empresa, tomei fôlego e abri uma empresa de Comunicação.

Fui a primeira mulher a trabalhar Marketing Politico, e a coisa correu bem durante alguns anos, e depois, quando veio a crise...tive que vender.
Se pensar um bocadinho, só com este dado da minha vida, consigo enumerar uma longa lista de desaires a nível profissional e pessoal.

Mas sabem o que é o mais importante de tudo, o que eu tenho que reter bem presente na minha cabeça?
É que se eu tivesse aceitado aquele trabalho tão bem pago, não tinha batido mais tarde”com os burrinhos na água”, não teria de começar de novo e não partiria em busca de trabalho.

Até ao dia em que cheguei aquilo que viria a ser o CNL e consegui um emprego como coordenadora de redacção!
Depois, isso fica para outras conversas mas aqui está o meu exemplo. Espero pelos vossos e até para a semana.

Um abraço,
Luísa

tags:
publicado por Luísa Castel-Branco às 18:08
link | comentar | favorito

Desafio Nº4 – Hoje Não Estou Para Ninguém!

Eu até tinha o texto bem alinhavado. Tudo preparado para conversar um pouco mais convosco sobre aquela lista de “sonhos adiados” que começámos por escrever e donde iríamos, cada uma de nós, retirar uma meta a atingir.

 

Da última vez, pela minha parte, penitenciei-me por não ter sido capaz (ou não ter encontrado o tempo) para iniciar esse processo.

 

Desde aí nada se alterou, a não ser o meu complexo de culpa ter crescido ainda mais.

 

E foi por este pensamento me ter vindo à cabeça, que mandei fora o Desafio nª4 conforme o tinha concebido, rasguei-o em pedaços, e atirei-me para cima do sofá e pensei: Quando foi a ultima vez que eu disse:” Não, hoje não estou para ninguém!”

 

Perguntem a vocês mesmas, quando foi que isso vos aconteceu?

 

Mandar tudo pelo ar, as obrigações, os horários a cumprir, tudo o que toda a gente espera por nós, essa sim, a lista mais longa de todas!

 

Ah! Poder enfiar a cabeça por baixo dos lençóis, preguiçar todo o santo dia, comer tudo o que é proibido: hambúrguer com queijo derretido, um gelado maravilhoso coberto de chantilly, voltar a cair na cama ou no sofá e deixar o dia escorrer, as horas a passarem e nós a vermos uma colecção de filmes de amor, de suspense, ou de riso simples.

 

Que palavra terrível! Porque a nós Mulheres raramente, muito raramente, nos é permitido um dia em que rasgamos a página do calendário, desligamos o telefone e esquecemos o mundo lá fora.

 

Ora aqui está um bom desafio:

 

Vamos oferecer um dia a nós mesmas!

 

sério, vamos parar de nos sentir culpadas e roubar um dia à nossa agenda a rebentar de tudo e mais alguma coisa!

 

 

 

Escolha o dia e coloque um grande letreiro na porta da sua casa, na porta do seu quarto, na mensagem do seu telemóvel, como quiser: HOJE NÃO ESTOU PARA NINGUÉM! OBRIGADA E ATÉ AMANHÃ!

 

P.S.Estamos proibidas de nos sentir culpadas. OK?

 

Luísa Castel-Branco

 

 

 

tags:
publicado por Luísa Castel-Branco às 11:04
link | comentar | ver comentários (5) | favorito
Terça-feira, 16 de Outubro de 2007

Desafio nº3 - Aprender a gerir o tempo que nos falta

Ainda bem que vos dei um exemplo pessoal, um sonho que eu gostava de realizar, para agora, ao retornar ao tema, ser bem mais fácil explicar como podemos falhar os nossos objectivos.

Na verdade, pura e simplesmente não tive tempo sequer para fazer o primeiro gesto, para dar o primeiro passo.


E era simples: Fazer uma pesquisa e identificar os locais onde podia tirar o tal curso de fotografia, fazer o telefonema para saber condições, datas, enfim, coisa de nada se comparáramos com a concretização do dito sonho, essa sim bem mais demorada e exigente.


Mas esbarrei no tempo.
E aqui estou a dizer-vos: mea culpa!
Comecei mal e isto mesmo vai acontecer vezes sem conta.

São exactamente estes pequenos pormenores que dão cabo de nós, que nos encostam a um canto e nos aniquilam a vontade!

E afinal, o que teve de novo esta minha semana? Nada!


É a correria entre o trabalho, a casa, os nossos pais que necessitam de nós, os netos que precisam de nós, os filhos que nos pedem ajuda.
È olhar para o trabalho que temos em frente e senti-lo mais pesado a cada dia que passa, na proporção directa do nosso cansaço.

A juntar a isto tudo, existe ainda o lado pessoal da nossa vida, onde, seja qual for a idade que temos, os desafios também não são pequenos.

E como somos mulheres, e portanto gostamos de complicar as coisas (!) vivemos a questionar o que acontece, o que nos falta, o que poderíamos ter feito.

Mas se há algo que me fascina, é a capacidade que algumas pessoas têm de sabe gerir o tempo.


Porque é exactamente aí que a tudo se centra.
Começamos o dia a correr, continuamos num sprint desenfreado e quando chegamos a casa o cansaço vence-nos.

Ora a realidade, a rotina, são lugares secos e áridos, sem o oxigénio necessário para dar alento aos nossos sonhos.

Mas se a vida é o que é, se não podemos mudar o nosso dia-a-dia, como vamos conseguir alcançar seja o que for?


O meu desafio para esta semana, para mim e para vós, é concertarmo-nos com o tempo, unirmos forças ao relógio do Universo, em vez de nos perdermos nas 24 horas que dizem que os dias têm, mas que a nós nos parecem muito menos.

O que posso eu fazer para me organizar? Para ganhar algum espaço para mim mesma? Para dar direito a mim, enquanto ser humano, a poder sonhar, mesmo antes de dar qualquer passo para a frente, no alcance do tal sonho que tenho guardado e bem escondido dentro do meu coração?


Não tenho resposta.
Porque creio sinceramente que são pequeníssimos passos que nos podem levar a alcançar alguns minutos para nós.

Recebi da vossa parte uma amostra de vários sonhos.
E creio que este problema do tempo se aplica a todas nós.

Vamos ver como lhe damos a volta! Para a semana aqui estarei a contar-vos como me portei e claro aguardo as vossas notícias.


Um abraço,
Luísa

tags:
publicado por Luísa Castel-Branco às 11:17
link | comentar | ver comentários (3) | favorito

posts recentes

Desafio nº8 - Coisas que ...

Desafio Nº7 – Como sobrev...

Desafio nº6 - Contem-me u...

Desafio nº 5 - Cair não é...

Desafio Nº4 – Hoje Não Es...

Desafio nº3 - Aprender a ...

Desafio nº2 - E agora?

Desafio nº1 - Quantas de ...

tags

todas as tags

arquivos

Dezembro 2011

Fevereiro 2010

Novembro 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

pesquisar

 
blogs SAPO

subscrever feeds